Escrita e(m) partilha

O tema desta semana que serviu de inspiração aos alunos é a seguinte fotografia:

O caminho do auto-conhecimento

De repente começamos a nos questionar, onde realmente iremos o Reino de Deus encontrar.
No céu, na terra ou no mar?
Recordando aqui que era o céu que mamãe estava a apontar…
E eu pequenina olhava a imensidão, sem constatar o palácio real da minha imaginação.
As escolas nunca quiseram ensinar,
o caminho que nos conduz a paz,
E vivemos ao meio de turbilhões,
condicionados para responder exigidos padrões.
E como zumbis muitos estão a caminhar,
esperando apenas o dia da “morte” chegar.
E da ignorância estão a padecer,
E a Roda do Samsāra a
percorrer,
Mas entre muitos estão aqueles que querem despertar,
do sono profundo de Māyā
e o caminho do Dharma trilhar.
O caminho do conhecimento
O retorno para o Ser
Navegar no mundo interno que precisamos compreender
Então ocorre a INICIAÇÃO na Senda Espiritual para a verdadeira evolução.
VEDĀNTA está a pulsar, transmitindo o conhecimento que irá nos ajudar, a encontrar a nossa verdadeira essência,
o ĀTMA.

Aluna: Aildes Andersen

A caminho

A caminho
Por entremuros nos guiamos,
confiantes da sua proteção.
Altaneiros muralham a nossa perspectiva…
Quando em determinados momentos subimos ao parapeito da curiosidade,
apoiando-nos no degrau do conhecimento…
Uma exclamação surge
na contemplação do mundo aberto!
E um renascimento acontece,
um ampliar da visão
que absorve o horizonte da vida!

Aluna: Carla Santos

Caminho divino

Andamos em circulo
Numa roda sem fim
Entre alegrias e sofrimentos
Subindo ao topo da montanha
Submergindo nas profundezas do mar
Numa benção divina, somos apontados pelo universo
Uma fenda se abre neste circulo, mostrando a saida
Um caminho com um horizonte encontramos
Luminoso, de distância desconhecida
Mas de afamada sabedoria
Aos poucos e poucos as cortinas vamos abrindo
Tudo se vai clareando
Tudo se vai desvendando
De cabeça erguida caminhamos
Humildemente confiantes
Pisando com leveza
Que o conhecimento
É o meio
É a nossa Certeza!

Aluna: Susana Santos

Terra

Sabes!?
Ao ver-te, assim,
neste retrato
surges-me cansada
e sinto um imenso
amor por ti.
És mulher
e na tua existência,
de tão longe,
vestes roupagens sem fim.
Às vezes,
vestida de areia,
és sensual com teu corpo ondulante
danças a melodia
do vento do deserto.
Outras…
és criança de pele morena, cabeleira feita
de florestas verdejantes,
brincando num mundo
de vivas cores
em que, o ruído das cascatas,
são as tuas gargalhadas.
Mas também és guardiã
quando te vestes de cordilheira,
numa fileira cerrada
pronta para batalhas
nem sempre imaginárias.
Mas acima de tudo
és Mãe,
e toda tu és ventre
aberto ao sol que te fecunda.
E do líquido uterino
brota toda a vida e amor.
A todos os teus filhos
cuidas, alimentas, abraças.
Ensinas-nos a andar
a viver, a escolher.
Mas nem sempre
entendemos o teu ensinamento,
nem sempre entendemos
o teu ralhar.
Mas tu…
Tu és sempre Mãe
e vais perdoando
as mágoas que te causamos
com comportamentos
de quem não sabe o que faz.
No fim…
vivido o que havia a viver
novamente nos acolhes
dentro de ti para um futuro renascer.
E eu só posso dizer,
do mais profundo
do meu ser,
Obrigada Mãe

Aluna: Adelina Carvalho

E lá está ele

O caminho das incertezas
O caminho dos imprevistos
O caminho do aprendizado
Quanto maior o obstáculo, maior a sabedoria que você pode extrair dele
O obstáculo é do tamanho da nossa ignorância
Mesmo o caminho sendo reto, nós insistimos em dar voltas em torno de nós mesmos
Podemos apenas sentar no meio do caminho e esperar para ver quem vai passar
Mas e se ninguém passar? O que teremos aprendido? Teremos apenas nos iludido
Dessa forma nos resta caminhar tomando a direção que nos é oferecida, de acordo com nossas escolhas anteriores.
E não esquecendo de apreciar toda a beleza da trajetória

Aluna: Licia Medeiros

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.