Escrita e(m) partilha

O tema desta semana que serviu de inspiração aos alunos foi um verso da Bhagavadgītā


"V.6.15 – O meditador cuja mente é disciplinada, unindo sempre a mente (a mim) desta maneira, (como foi dito), obtém a paz que está em mim, que é a libertação, o final (da busca)."

Em verdade

Em verdade me digo
palavras que ultrapassam a compreensão…
A busca por esclarecimento
um mergulho em mim implica!
Ser ciente da verdade que me define mas não me detém.
Emergir e não submergir nos conceitos!
Nebulosidade que se atravessa na procura por nós.
Rendida ao conhecimento
e em busca da sapiência.

Aluna: Carla Santos

Verdades

O mínimo que podes fazer
E não mentir para você.
Olhe sempre com sinceridade e verás.
O eu inferior tentando comandar.

A verdade é sempre melhor,
Doe o que doer,
pois adiante
estará no âmbito do seu Ser
E irá descobrir a força e a compaixão,
Requisitos e virtudes que te livrará da ilusão.

Prefira sempre a verdade e não se deixe enganar.
Assuma a responsabilidade pela a sua vida!
E permita a divindade atuar.

Aluna: Aildes Andersen

Verdade reluzente

Camadas de ignorância
Se vão descascando
Se vão removendo
Se vão demovendo

Vamos entrando
E perfurando
No nosso interior
Num mundo inferior

Tão verdadeiro
E único
É o nosso núcleo
O nosso ser

E quando finalmente o alcançarmos
Carinhosamente abraçaremos esta esfera de luz
Que reluz com força e convicção
Uma união se unirá
A verdade se revelará!

Aluna: Susana Santos

Verdade

A verdade da verdade
É a mesma verdade da mentira
É verdade absoluta
Que tudo é sem nada ser
Que não se cria
E tampouco pode se desfazer
Que não se divide
Nem tem onde se esconder
Porém a mim só se faz evidente
Quando devolvo a ela
As verdades relativas
Que por ignorância guardei

Aluna: Juliana Giarola

A dança da verdade

A rodopiar me encontrei
Um dia em tempos passados
Num girar constante de incertezas
Dancei
Sem fim era este rodopiar
Ao som da música constante
Questionante
Para onde vais?
Para onde queres ir?
O que fazes?

Numa das voltas, uma mão me agarrou
Me obrigou a parar
Me fez pensar
Inundando a minha mente
Com uma clareza estonteante

Num simples toque, senti-lhe o quente calmante e reconfortante

Guia-me por este caminho
Disse-lhe eu
Leva-me contigo
Ilumina a minha obscuridade
Leva-me à verdade!

Aluna: Susana Santos

A dança da verdade

Que a busca pela verdade seja uma constante em nossas vidas. A verdade não depende de quem a disse, a verdade existe por si mesma e é apenas reproduzida pela voz dos sábios. A verdade acalma, conforta, traz paz ao coração. A verdade tem lógica, faz sentido e tem explicação. É para isso que serve nosso intelecto, para questionar e discernir, separar a verdade da mentira, percebendo que de fato essa última não existe. A verdade já está presente em nosso coração. Só precisamos silenciar nossa mente para ouvi-la. A verdade UNE todos os seres e não os separa em categorias. A verdade é Deus.

Aluna: Licia Medeiros

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.