Āyurveda-Prevenção é melhor que a Cura

Prevenção é melhor que a Cura

Num mundo perfeito, o tratamento de qualquer doença deveria acontecer com foco na sua reversão. A verdade é que os avanços na medicina que salvam milhões de vidas todos os anos, não vêem sem uma série de efeitos secundários e uma grande parte deles com um foco na supressão de sintomas.

Se cada vez que eu tenho azia ou dor de cabeça a linha de tratamento for um anti-ácido ou um paracetamol, para além do alívio natural dos sintomas, o que é que eu estou realmente a fazer para lidar com a causa e a reversão do problema?

Vamos ver o que o Ayurveda tem a dizer sobre isto.

De uma forma geral, de acordo com o Ayurveda, as causas das doenças podem ser classificadas de três maneiras.

– o uso inapropriado dos sentidos (asātmendriyārtha samyoga)
– a transgressão da Sabedoria (pragnyāparadha)
– o efeito do Tempo (kāla / pariṇāma)

Pode parecer uma classificação simplista e irrelevante mas a longo prazo, o seu impacto na nossa saúde e bem-estar fica claro. Vamos ver uma a uma.

Uso impróprio dos sentidos (asātmendriyārtha samyoga)

Nós usamos os órgãos dos sentidos para perceber, analisar e realmente construir o conhecimento do mundo ao nosso redor. Os sentidos são nossos instrumentos de comunicação com o mundo exterior, portanto, se estes forem viciados de alguma forma, podemos perder a capacidade de “comunicar” adequadamente e distorcer os sinais sensoriais que recebemos.

O uso dos sentidos pode acontecer de diversas formas:
– uso excessivo (atiyoga)
– falta de uso (hinayoga)
– uso impróprio (mithyāyoga)

Exemplos simples:
– Se passamos muito tempo à frente do computador ou do telemóvel, estamos a usar demais o sentido da visão.
– Se lermos num ambiente com pouca luz, estamos a esforçar a nossa visão de forma inadequada.
– Se nos fecharmos num quarto escuro por muito tempo, acabamos por não usar o sentido da visão suficientemente.

Isto são só alguns exemplos para o nosso sentido de visão mas o mesmo pode acontecer para os outros sentidos, a audição, o tacto, o paladar e o olfacto.

Ter um contato equilibrado e adequado dos sentidos é benéfico como factor de prevenção, especialmente numa sociedade onde estamos constantemente a ser super-estimulados.

Transgressão da Sabedoria  (pragnyāparadha)

Existem 3 funções básicas ou aspectos da inteligência:
– dhi (habilidade de aprender)
– dhriti (poder de controle ou de retenção)
– smriti (poder de relembrar)

Cada ação que realizamos vai inevitavelmente gerar um resultado. De acordo com o Ayurveda, se alguma destas funções estiver comprometida, existe uma grande possibilidade de fazermos acções erradas que eventualmente levarão ao desequilíbrio dos doṣas.

De várias maneiras, a transgressão da sabedoria é considerada a causa principal de qualquer doença. Por exemplo tabaco, consumo excessivo de açúcares, gorduras e alimentos processados; ou estar cansado/a e precisar de dormir mas ainda assim ver mais um episódio da minha série preferida são acções que se feitas regularmente podem a longo prazo gerar complicações na nossa saúde e bem-estar.

Estes são exemplos simples mas basicamente assentam no princípio de haver algo que eu sei que não é necessariamente bom para mim mas eu acabo por fazê-lo de qualquer maneira.

Numa vertente mais filosófica, a causa principal de pragnyāparadha é não saber quem somos. Um dos versos de Ayurveda diz:

“Se algo eterno é visto como efémero e algo prejudicial é visto como útil e vice versa, isto é indicação de de um intelecto comprometido. Pois um intelecto normal vê as coisas como elas são.”

Efeito do Tempo (kala/pariṇāma)

Existem diferentes perspectivas, mas de uma forma ou de outra, elas estão todas relacionadas com o tempo.

Além da deterioração natural do corpo ao longo da vida, os doṣas manifestam-se com mais destaque em diferentes alturas do dia, digestão e idade. kapha no início, pitta no meio e vata no fim.

O doṣa kapha é mais proeminente:
– no início do dia e da noite,
– na primeira parte da digestão (estômago)
– no primeiro terço da vida (infância)  

Os outros doṣas seguem respectivamente. pitta no meio do dia e da noite, na segunda parte da digestão (intestino delgado) e no segundo terço da vida (vida adulta) e finalmente vata, na última parte do dia e da noite, na última parte da digestão (intestino grosso) e na última parte da vida (3ª idade).

Os doṣas também se movem através das estações do ano em ciclos de acumulação (caya), agravamento (prakopa) e pacificação (praśamana).

O estágio das doenças também é outro fator temporal importante, pois decidirá o curso de ação adequado para o problema específico.

Se fundamentalmente as doenças ocorrem por causa do distúrbio dos doṣas, esta nossa dança com eles ao longo da nossa vida vai contribuir e definir o nosso estado de saúde.

Prevenção

Existem dois objetivos principais no Ayurveda: prevenir a doença e remover a causa da doença.

Escusado será dizer que é muito melhor investir na primeira, em vez de ter que iniciar um processo de cura que, em muitas situações, poderia ter sido evitado se nós cuidássemos adequadamente desde o início.

No processo de lidar com um desequilíbrio, o primeiro passo é sempre parar a causa do problema (nidana parivarjana). Se houver um sintoma agudo, claro que deve ser tratado imediatamente, mas além disso não parece benéfico continuar a abordar os sintomas sem trabalhar para remover a sua causa.

A prevenção só pode acontecer quando entendemos como funciona o sistema corpo/mente humano e aprendemos a estar em sintonia com as mudanças e flutuações naturais ao nosso redor, pois como afirma a tradição, somos apenas um microcosmo, um reflexo desse microcosmo que é a existência.

Então, olhando para essas três principais causas de doenças, parece que existem dois pré-requisitos principais para a saúde: conhecimento e conscientização.

Uma prática de pratyāhāra (abstracção dos sentidos), como por exemplo meditação, é muito importante. Dar uma pausa aos sentidos, não só ajuda a evitar problemas futuros, mas também nos dá o tempo e espaço adequados para digerir todas as informações sensoriais que recebemos do mundo exterior.

Por exemplo, o estudo de Vedanta é uma ferramenta que a longo termo nos ajuda a evitar transgressões da sabedoria causadas por não saber quem Eu sou. Esse estudo ajuda também a reforçar aspectos diferentes do nosso intelecto.

Ayurveda tem um vasto conhecimento adquirido de como nosso corpo funciona e como nosso sistema interage com a natureza ao nosso redor. Existe a recomendação de rotinas diárias (dinacaryā) e rotinas sazonais (ṛtucaryā) para garantir que a harmonia seja mantida através de todas as mudanças da vida.

Mas, para que o conhecimento tenha valor, é preciso que este transite da teoria para a prática e que seja implementado regularmente. As exigências da vida moderna muitas vezes levam à desarmonia e temos que tentar fazer a coisa certa, conforme a situação em específico o exige. Infelizmente, “tamanho único” não é o lema da Ayurveda.

Quando se trata de bem-estar, nossas ações só podem fazer duas coisas: apoiar ou negligenciar a nossa saúde. Quer estejamos conscientes disso ou não, a nossa saúde é o resultado das escolhas que fazemos no nosso dia-a-dia, todos os dias.

A solução é simples… quaisquer que sejam as nossas escolhas diárias, devemos certificar-nos de que são as mais adequadas para nós e além disso temos de estar cientes das consequências que elas nos possam trazer no futuro, boas ou não.

Simples nem sempre quer dizer fácil pois hoje em dia parece que, infelizmente, ser saudável dá mais trabalho do que ser doente.


Ricardo Barreto

Terapeuta de Ayurveda

www.instagram.com/wayofayurveda_pt
+351 925380997

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.