• Testemunho dos Alunos – Vanessa Sander

    Conheci o Professor Paulo em um momento que vinha pedindo muito a luz, o amparo da verdade, e a presença de Deus, fazia a leitura de um material ou outro e recém tinha rompido um relacionamento ao qual tinha muito apego. Mesmo com essa dedicação tinham dúvidas e sombras que pairavam na minha mente e tiravam minha alegria de viver, constantemente. Um certo dia, enviei um áudio para o professor, solicitando ajuda, eu me via presa em situações que minha experiência, e conhecimento não conseguiam resolver. Quero ressaltar aqui, o quanto a compassividade do Professor Paulo, a ausência de julgamento fizeram com que eu conseguisse ver uma Vanessa, sem as sombras que a perseguiam, pedi então qual curso deveria fazer e ele recomendou Tattvabodha – aqui realmente eu consegui me conectar com o imperecível, com a verdade! Chega a ser difícil mensurar as consequências desse aprendizado.

    Para mim, particularmente o que teve de mais rico, foi a compreensão do meu papel, isso me ajudou a ser muito mais assertiva com minha filha, paralelamente a isso, eu senti mais força e me capacitei para me diferenciar das dores e sofrimentos, sejam eles meus ou não, com essa força, tenho conseguido me empenhar em projetos profissionais que sempre sonhei, mas que não saiam do papel. Tenho mantido minhas práticas e mantras diariamente, conforme a recomendação do Professor, me sinto mais feliz e realizada do que nunca, sinto também que dou mais liberdade para as pessoas do que jamais experimentei e ainda assim consigo entregar coisas valorosas para a Vida, porque tomei para mim tudo aquilo que recebi com profunda gratidão. Sei que minha jornada só está começando, Obrigada Professor e toda equipe, serei sempre grata!


    Vanessa Sander
    Psicóloga e Coach


    psicololgaonlinevanessa.com.br
    https://m.facebook.com/psicologaonlinevsander
    https://www.linkedin.com/in/psicologaecochonline/

    www.youtube.com/vanessasanderpsicologa

  • Testemunho dos Alunos – Ana Carolina Teibão

    Recordo algo que o professor disse numa das nossas aulas : “quando esgotamos todas as possibilidades, todos os escapes mundanos em prol daquela necessidade que sentimos e é natural no ser humano de libertação, encontramos o Vedanta” . 

    Foi em plena pandemia que, pela mão de uma grande amiga e astróloga, a Maria João Coelho,  comecei a participar das aulas de zoom do professor Paulo Vieira. Aquele tornou – se o meu espaço semanal de rendez-vous e fé, enquanto atravessava certas tempestades desafiantes no alto mar da minha existência. Como me tocou tanto e foi tão especial, decidi ingressar no estudo da Kathopanishad. 

    Para além do conhecimento intelectual, de toda uma visão do mundo que este estudo traz, de vislumbre lógico e inteligente de como tudo no mundo está perfeitamente interconectado; é um conhecimento que nos transforma internamente,destrói maus hábitos e crenças de pensamento, favorecendo uma mente mais tranquila. Por conseguinte, concretiza-se numa maior harmonia nos relacionamentos  e num maior discernimento para fazer escolhas e encontrar soluções . A forma como o professor exprime o conhecimento é divertida, suave, clara, e extremamente profunda. Muitas vezes fico dois, três dias ou até uma semana a sentir o efeito de uma aula. 

    Este estudo materializou-se também numa nova vida para mim, a vida da minha filha Inês. Vivenciei, com a bênção de Ishvara a beleza de toda a conexão em verdade do que me foi instruído pelo professor, a quem sou eternamente grata. 

    Atualmente continuo o meu estudo, agora da Mundaka Upanishad e o meu maior desejo é de que eu possa seguir neste caminho, a cada dia me permitindo, abrindo e entregando a mais e mais transformação, rumo a moksha. Assim termino o meu testemunho em gratidão profunda 🙏Namaste. 

    Ana Carolina Teibão

  • Testemunho dos Alunos – João Luz

    Olá, o meu nome é João, sou aluno de Vedanta,  nem sempre tive uma vida espiritual, aliás tive uma adolescência, algo rebelde. Contudo a idade trouxe-me, discernimento e vontade de aceitar, tudo aquilo que a sociedade tem para oferecer.  Pôrem apesar de ter tido bons resultados, tanto a nível financeiro, como conjugal com dois filhos e um grupo de amigos influentes, constatei que não era realmente feliz, vivia num estado de angústia e ansiedade, com um sentimento de inadequação, perante as pessoas que me rodeavam, e seus objetivos de quererem sempre mais.

    E foi assim, que cheguei até ao yoga, na expectativa de encontrar equilíbrio físico e mental. Depois, Vedanta que ouvi falar pela primeira vez, em conversa com os meus professores de Yoga, a palavra Vedanta, captou de imediato a minha atenção e curiosidade, o que me levou  a pesquisar sobre o tema. Tudo ressoou em mim de tal forma, que decidi aprofundar este  conhecimento e procurar um professor, como sugere a tradição.

    A escolha de um professor atualmente, não é tarefa fácil, na medida que se encontra todo o tipo de informação da internet.

    No entanto, na primeira abordagem com o Professor Paulo, fui tocado pelo seu discurso afável, simples  e objetivo.  Sinto-me abençoado, por ter encontrado um professor assim notável, dedicado e comprometido com o ensinamento.

    Em que aula após aula foi dissolvendo os meus paradigmas, removendo crenças, trouxe-me Insights, clareza e objetividade. As minhas questões mais profundas foram tendo respostas e o modo como via o mundo e a mim próprio foi mudando, e tudo se transformou, em harmonia e quietude.

    Gratidão, querido Professor!

    João Luz

  • Testemunho dos alunos – Maristela Córdova

    Meu nome é Maristela, nasci no sul do Brasil, e me transferi para Portugal porque minha filha única se casou, veio para Portugal e logo nasceu meu netinho Miguel (hoje com 5 anos de idade). Mas toda essa mudança aconteceu num momento da minha vida em que eu havia decidido viver uma boa temporada na Índia, só que não foi possível concretizar esse plano. Temas como espiritualidade, autoconhecimento, yoga,  āyurveda e Vedānta já faziam parte da minha vida por diversos caminhos e diferentes formas.  
    Sendo aluna de  Vedānta   desde 2015 no Brasil, ao chegar em Portugal (em 2018) eu soube que havia aqui o professor Paulo Vieira que havia retornado a pouco tempo do seu retiro de quase quatro anos na Índia. Pesquisei nas redes sociais e acompanhei virtualmente um pouco da história da criação e abertura do Centro Ārṣavidyā, e das atividades e palestras que o professor promovia em vários locais na região do Porto. 
    No início de 2020 tive o privilégio de participar presencialmente da celebração de inauguração do Centro, na Maia, e foi aí que começou a minha conexão com o professor Paulo Vieira. Lembro-me muito bem do meu encantamento, naquela tarde, ao ouvir do professor Paulo a história de como o Centro foi criado a partir de uma antiga casa e um celeiro que pertencem à sua família por gerações! E hoje, neste momento, cá estamos nós alunos a oferecer nossos depoimentos e a honrar nosso estudo e nosso crescimento interno tendo o professor Paulo como nosso guia. 
    Ouvir as aulas do Professor Paulo, interagir e receber dele o conhecimento, tem sido para mim uma fonte constante de transformação pessoal e de quebra de paradigmas internos. 
    O professor tem ao mesmo tempo uma generosidade, uma suavidade e uma força na sua forma de ensinar e de interagir. Às vezes ele é suave como a brisa, às vezes ele é como a força do vento a nos tirar do lugar-comum em que o ego insiste em permanecer. Sinto a verdade das palavras do professor. As palavras dele têm muita vida! Quando desdobra de forma tão hábil a Upanishad numa aula, quando fala do Eu e do Absoluto, de Iswara e do Jiva, do Ego e do Ser… suas palavras ecoam em mim de uma forma tal que naquele momento eu tenho certeza absoluta de que é sobre mim que ele está a falar. 
    E essa certeza se manifesta na minha mente com a mesma clareza de que – antes de mais nada – o professor é um ser humano, possui sua vulnerabilidade própria, carrega uma história de vida, passou pelo seu próprio processo de transformação pessoal através dos mestres, foi abençoado com o conhecimento, e por isso mesmo ele compreende a minha humanidade, a minha limitação, a minha vulnerabilidade e pode guiar-me nesta senda para a dissolução da minha ignorância.  
    Estudar  Vedānta   é algo tão raro neste mundo, ainda mais no mundo ocidental! Estudar  Vedānta   com o professor Paulo, e interagir em colaboração ao Centro Ārṣavidyā, é uma oportunidade que a vida me deu de estar próxima do conhecimento e permitir que esse conhecimento envolva meu ser e provoque na minha mente a transformação que precisa ser feita até que essa personagem cheia de limitações e karmas seja dissolvida na luz da verdade. 
    A esse querido professor que me tira do lugar-comum e me conduz para fora da minha limitação eu ofereço meu reconhecimento, a minha  reverência e essa gratidão imensa que brota no meu coração por essa oportunidade de ser sua aluna.  Hari Om!


    Maristela Córdova

  • Testemunho dos Alunos – Fabrícia Eisted

    Namaste!

    Eu sou a Fabrícia, brasileira, mãe, esposa, residente na Dinamarca e uma das alunas do Centro Arshavidya.

    Descrevo aqui a minha jornada no caminho de Vedānta, e espero que possa inspirar outras pessoas que buscam o autoconhecimento através de Vedānta.

    Estudar com o Professor Paulo tem sido para mim uma bênção. Desde o momento que desejei aprofundar no estudo e o Professor Paulo me acolheu, assim comecei o estudo da Bhagavadgītā em Abril de 2020.

    O Professor Paulo é muito atencioso com os alunos: um dos privilégios de estudar com ele. É sempre muito cuidadoso ao responder as perguntas pessoais, assim como as perguntas do grupo de alunos sobre diversos temas e assuntos relacionados às aulas ou não.

    Em Maio de 2020 iniciei o estudo de canto com a colaboradora do Centro Inês Gama, em Setembro de 2020 iniciei o estudo de Sânscrito junto com o estudo da Kathopaniṣad. Em Março de 2021 fiz o curso de pūjā com o Professor Paulo, e sempre que posso faço a pūjā  mais elaborada com a convicção de que ajuda à mim, minha família, e a sociedade.

    Os benefícios obtidos desde o início do estudo de Vedanta são inúmeros, mas para dar alguns exemplos: tenho vivido uma vida mais harmônica com a minha família, no meu trabalho e principalmente comigo mesma, me respeitando, respeitando meus limites e expressando-os.

    Também estudo Āyurveda e Psicologia do Yoga e me deslumbro ao perceber como os ensinamentos de Vedānta, Āyurveda e Psicologia do Yoga se complementam.

    Quero terminar com o conselho para melhor progredir no estudo de Vedānta que muito sabiamente foi partilhado conosco pelo Swami Sadatmananda em uma Palestra de Gurupurnina em Julho de 2021:

    Tente ver a relevância de Vedānta na nossa vida. Vedānta não deve ser estudado com uma abordagem acadêmica. Não é uma questão de ser estudado para um exame ou conseguir um diploma. É uma questão de descobrir a nossa verdadeira natureza, uma questão de amadurecer no processo, ficarmos mais aceitáveis para nós mesmos aos nossos olhos e tornar o mundo mais aceitável vendo a ordem por detrás.

    Por outras palavras, tente ver a relevância do ensinamento na sua vida. Não faça do Vedānta uma teoria para ser meramente lembrada ou entendida.

    Não tenha compartimentos entre a vida e Vedānta. Deixa que o Vedānta se reflita na sua vida. Isto é uma coisa.

    A segunda coisa é que possa haver dharma nas nossas vidas, valores nas nossas vidas.

    Muitas vezes as pessoas separam o Vedānta e o dharma. Pensam que Vedānta é uma coisa e os valores morais são outra. Então, se você estiver a estudar Vedānta, você não precisa de se preocupar com os valores morais. Isto está errado. Sem seguir os valores na vida, você não pode ter uma assimilação do Vedānta. Portanto, sigam os valores: ahimsa, não magoar as pessoas, honestidade, não enganar ninguém de forma alguma e ser um contribuidor o máximo que puder. Portanto, desta forma, se seguirem o dharma, seguirem os valores, então a nossa assimilação de Vedānta será melhor. De forma que progrediremos mais na nossa busca por moksha.

    Portanto, o Vedānta não é meramente para ser estudado, Vedānta é para ser vivido, no sentido em que o refletimos nas nossas vidas. Não é teoria e prática. Eu não disse ‘pratica Vedānta’, eu não usei essa palavra. Eu disse: deixe o Vedānta ser refletido nas nossas vidas…

    Significa que a visão de Vedānta é assimilada na vida de tal maneira que a vida e Vedānta não permanecem como dois compartimentos, eles se tornam uma entidade integrada.

    Então é isto que podemos fazer nas nossas vidas para ter um progresso melhor no Vedānta, além de estudar regularmente”.

    Bons estudos!

    Hariḥ oṃ

    Alberstslund, 10 de Janeiro de 2022

    Fabrícia Eisted
  • Testemunho dos Alunos – Sandra Colaço

    Como muitas coisas que não acontecem quando queremos, mas quando estamos preparados para elas, assim entrou o Vedānta no meu dia-a-dia.

    O primeiro contacto que tive com o professor Paulo foi na Freeflow numa Pūjā. Já praticava Yoga há vários anos e tinha alguns conhecimentos da Pūjā mas nunca tinha participado de uma cerimónia tradicional, e foi muito especial. 

    Ficou em mim a semente de querer aprofundar mais sobre Vedānta, sobre o conhecimento de mim mesma, confesso, que tinha receio do compromisso, se iria ter tempo, capacidade de entendimento … alguns anos se passaram e foi durante um Workshop de Pūjā que o caminho se abriu ao receber o meu mantra pessoal. Desde esse momento uma revolução aconteceu, a prática do mantra pessoal diariamente, começa como sendo uma pequena luz que de dia para dia aumenta eliminando a escuridão.

    Comecei o curso da Bhagavadgītā, o estudo das Upaniṣads e no presente nem recordo o tempo em que o Vedānta não estava presente na minha vida.

    O professor Paulo conseguiu algo maravilhoso de unir várias pessoas, que se encontram em vários pontos do mundo, com diferentes experiências de vida, passadas e presentes, e unir-nos a todos. Toda a minha gratidão por ter esta maravilha oportunidade de receber este conhecimento, de me ter tornado mais leve com a vida e a vida comigo, e com todos os outros seres.

    ” O mundo não é mais que aquilo que fazemos dele todos juntos” ( Prof. Paulo Vieira )

    Namaste 

    Sandra Colaço

  • Testemunho dos Alunos – Isadora Reis Rodrigues

    Vedānta, uma jornada transformadora

    Já faz alguns anos eu embarquei numa jornada, uma jornada transformadora. Uma viagem que se faz com a alma, e também um exercício que se faz com o coração.

    Me tornei estudante de Vedānta.

    Quando chegou, o Vedānta foi na minha vida como uma onda que bate na areia da praia e modifica quase tudo que por lá estava. Eu sinto ao olhar para a Isadora que começou esta jornada, como se ela tivesse tivesse tornado-se realmente uma outra pessoa. Das tantas coisas que me marcaram e que me tocaram profundamente, guardo em um lugar especial o senso de liberdade que construímos ao longo do estudo. Uma alquimía muito particular e delicada, criadora de espaços. Junto dos versos e dos textos que repetimos e estudamos, junto das palavras que ouvimos, vai brotando um espaço, um desenlace, um senso de aceitação, e uma fluidez com os acontecimentos da vida.

    Lembro como se fosse ainda agora o dia em que parei para observar por onde andava meu coração, e com muita surpresa e muita felicidade percebi ter dissolvido algumas marcas emocionais que acreditava serem extremamente sólidas. Esse amadurecimento emocional me emociona demais, e sinto-me de coração muito mais aberto. Esses passos obviamente não são nem lineares nem constantes, a tal impermanência que tanto ouvimos falar.

    Mas talvez seja mesmo nos períodos mais estanques, onde o ruído da mente fala mais alto, e as dificuldades da vida nos pegam, que o estudo se mostra um suporte ainda mais importante. Por que sentimos nunca estar sós. O estudo, o professor, e o grupo com quem estudamos se transformam em um sistema de apoio, e parece-me uma grande benção andar assim acompanhada pela vida.

    É muito poderoso e transformador contemplar quem realmente somos. E como diz uma música de Violeta Parra “va brotando, brotando, como el musguito en la piedra”, aos poucos vai brotando mais lucidez, mais amor, mais compaixão, mais força..

    E termino com estas palavras do meu querido Professor Paulo que tanto já  me inspiraram, cuide dos outros com a delicadeza de quem cuida das flores e cuide de si como a um diamante; por que assim somos, uma mistura da fragilidade e da beleza das flores e a firmeza e força dos diamantes. 

    oṃ Namaḥ Śivaya,

    Isadora

  • Testemunho dos alunos – Rute Lynge

    Bom, Eu sempre fui uma buscadora, e tudo começou com o Mahābhārata!


    Assisti o filme legendado em português, seguindo referência através de uma escola de filosofia.
    Eu nunca tinha ouvido falar a respeito dos Vedas, e este filme tocou tao fortemente meu coração e meu intelecto também.


    Imaginem um épico a mais de 5.000 anos atrás, tratar da complexidade do ser humano em todos os seus aspectos, através de uma Guerra, que é a consciência humana.
    Eu me senti em casa, enxerguei-me em todos os personagens e segui a procura de um professor de Vedānta, como foi recomendado pela tradição.


    Na verdade, senti um alívio, uma sensação de não me sentir mais sozinha, mergulhada em minhas dúvidas e receios.
    Conheci o Professor Paulo através de um Satsaṅga on-line com o Pr. Jonas, o qual fui aluna da turma Ganga. E logo depois iniciei os estudos, com Pr. Paulo, nas turmas regulares da Bhagavadgītā e Upanishads, já há quase 3 anos.
    O Professor Paulo não somente segue a tradição, ele a vive e transmite os ensinamentos aos alunos, com muita devoção, dedicação, humildade, sabedoria, empatia e compaixão.

    “Nós somos todos Um”

    Para mim foi o “pulo do Gato”, quebrar o tabu da autoridade de um Deus punidor, aprendendo com isso a ter Śraddhā, a confiança e entrega. Sem Śraddhā, o entendimento não acontece. Mas o professor segue sempre segurando as mãos de cada aluno, no mergulho intenso, através dos ensinamentos na busca de si próprio, nessa montanha russa de emoções e sentimentos da nossa complexidade humana.


    Eu agradeço a todos os mestres da tradição até meu Mestre Professor Paulo e também a todos que fizeram e fazem parte da minha vida, inclusive ao “Deus Punidor”, pois sem cada acontecimento, não estaria aqui, em paz como estou, tendo a coragem de seguir em frente a busca de Mokṣa.

    Agradeço também a todos do Instituto, os quais contribuem para que o ensinamento seja acessível a todos.

    A todos vocês, minha gratidão e meu sincero Namaskāra

    Rute A R Lynge

  • Testemunho dos alunos – Milene Barros de Souza

    Estudar Vedānta é um processo diário de desconstrução e construção, é decidir acabar com a ignorância sobre si e empreender uma viagem para dentro de si para depois, tal qual uma flor ir desabrochando no tempo certo.

    Em junho de 2018 encontrei o professor Paulo pela primeira vez, num evento que estava presente também professor Jonas, na época meu professor . Estudar com professor Paulo é estar seguro de aprender com quem vive o que ensina; É extremamente importante se sentir amparada e cuidada por essa tradição e o professor Paulo está sempre ali, atento aos pequenos sinais, pronto para apontar um caminho sempre.


    Gratidão professor , tem sido uma


    Jornada intensa , mas valiosa !


    Honro e agradeço a todos os mestres de todos os tempos, a todos que se dedicaram para que eu pudesse chegar até aqui, agradeço em especial ao professor Paulo, para você e todos os mestres meu Namaskaram.

    Agradeço também a todos que se dedicam no crescimento do instituto, nosso ponto de união e aprendizado.


    Milene Barros de Souza

  • Testemunhos dos Alunos – Raimundo Ferreira

    “Quem eu sou?”

    Ao chegar aos quarenta achei que era altura de controlar a mente e pensei que a solução estaria na meditação. Num curso de meditação foi-me apresentada a questão “Quem és tu?”, todas as respostas que obtinha não faziam sentido. Comecei a minha procura pela resposta, aprendi muito neste meu caminho, conheci muitas pessoas e práticas que me marcaram, mas não obtinha respostas. Ao deambular pelo YouTube deparei-me com uma entrevista que me mexeu, o entrevistado falava sobre que sempre fomos livres e sobre a necessidade de ter um Mestre. Marquei um encontro no Porto com o entrevistado desse vídeo, Professor Paulo Vieira, com quem troquei umas palavras e arranjou-me uns livros de Vedānta. Depois de ler o Tattvabodhaḥ, decidi frequentar um curso de um fim de semana com o Professor Paulo, deu para ter uma noção do que era o Vedānta e como seriam as aulas. Cada um tem os seus critérios para seguir um Professor/Guru/Mestre, para mim alem do conhecimento e da capacidade de transmitir esse conhecimento, coerência, valores, etc., tem que haver uma ligação mais profunda que vai alem da simples erudição. O Professor Paulo, para alem do conhecimento e a profundidade que desenvolve os assuntos, o que me cativou foi a sua entrega, simpatia, descontração, paciência e pelo carinho, preocupação e cuidado com os alunos. A sua preocupação contante com as necessidades dos alunos verifica-se na criação de cursos mesmo em áreas acessórias como por exemplo a turma de Sânscrito, que frequento. A equipa do Centro Ārṣavidyā tem demonstrado muita dedicação na divulgação do Vedānta, criando múltiplos canais de comunicação e apoiando o Professor. A união faz a força e é com todos os colegas que vamos apoiando uns aos outros, nos desafios e nas dúvidas colocadas ao Professor para cada vez mais o conhecimento possa crescer em cada um de nós. Acho fascinante com o Vedānta por ser lógico, fundamentado, torna a vida muito mais simples e leve. Que todos continuem com o excelente trabalho. Gratidão Professor por me aceitar como aluno. P.S. Relativamente à pergunta inicial, intelectualmente é muito fácil, mas … um dia de cada vez.

    Raimundo Ferreira

  • Testemunhos dos alunos – Ana Carapinha

    Em 2014 uma amiga convidou-me para fazer uma secção de meditação. Eu aceitei sem saber bem ao que ia.
    Fiquei rendida, depois passei a fazer yoga e depois fiz várias formações de curas e auto cura.
    Num dia através do Facebook ouço pela primeira vez Vedānta. Fui ver o que era e comecei a ouvir e pensei: é isto que ando à procura!
    Conheci o professor Paulo. Ele ia iniciar o curso da Bhagavadgītā e eu inscrevi-me.
    Estou a estudar com o professor Paulo à dois anos e os resultados do estudo são interessantes porque não damos conta da nossa evolução mental e emocional.
    Um dia paro e olho para as situações do dia a dia e aí sim, percebo o quanto eu melhorei nas minhas palavras, atitudes e julgamentos perante o outro ou em situações inesperadas.
    Recebi respostas a muitas perguntas que tinha à cerca de tudo isto, que é o nosso mundo.
    O professor Paulo passa a mensagem de forma simples e convicta. Está a ser muito bom aprender com ele, e pretendo continuar a ser sua aluna durante muito tempo.
    Estou muito grata por poder ter o privilégio de estudar este conhecimento.

  • Testemunho dos Alunos – Inês Gama

    Posso dizer que o Vedānta esteve sempre comigo na busca incessante que tinha desde pequena em entender qual era o propósito desta minha existência.
    No início, uma compreensão que algo parecia estar fora do lugar, que algo faltava. Nos meus 20 anos, tomei a decisão de partir para a busca, primeiro através do Yoga que me abriu as portas para um inúmero desenrolar de descobertas profundas neste caminho do auto-conhecimento.

    E a vida deu-me oportunidades magníficas de renascer continuamente e de aprofundar o estudo com professores dentro da tradição védica como o Professor Paulo Vieira com quem comecei a estudar preces tradicionais indianas em 2018; depois veio o canto védico e o sânscrito, mas sempre como pano de fundo o Vedānta. Primeiramente, com o estudo do Tattvabodhaḥ, e, a decorrer, com as aulas da Bhagavadgītā e das Upanishads.

    Posso dizer do fundo do coração que o Professor Paulo é um professor que nos transmite o ensinamento com uma total clareza e compaixão. Essa é a base firme para todo o despertar que emerge na partilha em grupo enquanto alunos, enquanto cientes que temos um porto seguro para esclarecermos as nossas dúvidas, para sermos quem somos de verdade, explorando no dia a dia todas as possibilidades que surgem para crescermos emocionalmente, para sermos melhores humanos e para contemplarmos esta essência que somos.

    Tal como num voo rumo ao que aparenta ser o desconhecido, mas com coragem e determinação e com o total entendimento que estamos seguros, pois o nosso guia assim nos acompanha e está sempre presente, compreendemos que é esta a verdadeira e importante viagem das nossas vidas, a qual não tem retorno.

    Profunda gratidão, Professor e Amigo. Que possas continuar a refletir a Luz de todos os seres através de todos as dádivas com que nos presenteias.

    Om Namaḥ Śivāya
    ॐ नमः शिवाय

    Inês Gama

  • Testemunhos dos Alunos – Sónia Monteiro

    Venho falar um pouco sobre o meu percurso e de como o meu caminho se cruzou com o do Paulo, iniciando o meu estudo de Vedanta, contributo fundamental para organizar a minha linha de pensamento na busca do auto-conhecimento.Desde pequena sempre me questionei sobre quem eu sou, o que estou aqui a fazer, para onde vou, qual o sentido da vida… entendia que todos deveríamos ser seres de um organismo só, tipo células trabalhadoras de uma entidade superior, desconhecida, enorme, do tamanho do cosmos… Percebia que estas respostas não iriam surgir na escola (que nunca me motivou muito), nem tão pouco do seio familiar, tradicional, e com quem privei pouco, fruto de uma adolescência dedicada à ginástica de alta competição. Depois encontrei na dança a forma de me expressar e encontrar, muitos momentos da tal transcendência ansiada surgiam, em forma de espasmos e prazer, que rapidamente caiam e desapareciam, ficando a insatisfação e a necessidade de mais adrenalina, quando entrava para o palco. Muitas práticas, muitos cursos, muito investimento nestas áreas mais transcendentes, acompanharam a minha formação, depois de ter entrado para uma linha de yoga não espiritualista. Mas as questões continuavam e, mesmo com a prática de yoga, faltava algo que unisse, que desse sentido à minha procura, por entender que a vida não pode ser só trabalhar, constituir família, nascer, sobreviver e morrer. Em 2012 a minha vida teve uma nova mudança, e o despertar para a espiritualidade começou. Inicio um caminho diferente na abordagem do Yoga, com outra liberdade de experimentar linhas novas, até antes desconhecidas e a mudança começou, aprender a lidar com os nossos monstros e aceitar essa convivência como natural. Fazer as pazes com o passado e entender que a causa de determinadas situações, pode ser fruto de karmas passados. Ganhando coragem e sentido força interior renovada, aceitei liderar o projecto/ escola FreeFlow, em arca d’água. (Re)encontrei o Paulo Vieira numa celebração do espaço Vaidika, e após breve conversa, iniciamos uma parceria de trabalho em 2018, que nunca mais terminou. Lembro de algo que ele me disse, quando um dia saía da FreeFlow, depois dum curso, onde eu comentava que o meu caminho era pela prática do Yoga no tapete, e ele, com o sorriso nos lábios, respondeu, “não é não, é através do conhecimento”. Apesar de difícil de digerir na altura, aquela curta frase ressoou em mim como se de repente os meus olhos se abrissem, numa total clareza e confiança plena. Assim encontrei o mestre, que tanto procurava, lá no oriente, bem ali, à minha frente, e posso seguir com a melhor orientação rumo à liberdade.